Publicidade nas salas de cinema

agosto 30, 2008 at 7:35 pm (Uncategorized)

O cinema no Brasil tem crescido numeravelmente conforme aos anos. As salas de cinema são cada vez mais disputadas pelos espectadores, não somente se aprecia o lugar onde as salas se encontram, mas também os confortos que elas oferecem. O público geralmente é jovem e entre as classes A e B e os anunciantes têm se aproveitado disto para poder comunicar seus produtos ou serviços para estes espectadores.

O espaço publicitário é ainda muito limitado, geralmente têm comerciais de bancos, aseguradoras e traillers de filmes que se estreiaram nos proximos meses. Acho que seria interesante ter outra clase de anunciantes, pois cada vez cresce mais e mais a obsessão pelo cinema como entretenimento e como estudo para alguns.

A pesar de que a atenção também é limitada antes de que o filme começe, tem pessoas que gostam de se preparar antes de estar totalmente dispostos a assistir numa sala o filme tão esperado e assim aproveitam o espaço dos traillers e anunciantes para isto.
É importante ter em conta a quantidade de pessoas que vão no cinema todos os finais de semana e sua situação económica, pois seria uma boa forma de lograr expor as marcas na cabeça destes consumidores.

Anúncios

Link permanente Deixe um comentário

A linguagem hipermediática

agosto 30, 2008 at 7:05 pm (Uncategorized)

A palavra hipermídia refere-se a interação entre texto, imagem e som. Cada vez é mais comum ver na televisão e cinema esta relação. Com o avanço tecnológico a reunião destes elementos, atualmente essencias para o cinema, se pode criar uma imagem mais específica ao que antes tinha que ser feito com efeitos especias meramente baseados em maquiagem e alguns efeitos de sons muito toscos.

Um exemplo de filme que reune o mais avanzado da tecnologia e utiliza a linguagem hipemediática é o “Iron Man – Homem de ferro”, dirigido pelo Jon Favreau e com a atuação do Robert Downey Jr.
Neste filme os efeitos especiais se dão no momento em que Iron Man é inventado pelo billionário Tony Starkes enquanto estava sequestrado. A semelhança do personagem no filme com o comics é identica, o que permite ao espectador ter a chance de se incorporar na trama com mais facilidade e aos fanáticos de Iron Man de ver o herói de uma forma que antes só estava na imaginação deles.

Hoje em dia é possível traspassar do papel, neste caso comic, para as salas de cinema uma ideia provinda da imaginação dos autores para assim poder expressar em imagem, texto e som essa visão. A linguagem hipermediática vai se melhorando rapidamente e no decorrer do tempo vai competindo para poder ter uma junção mais sutil de seus elementos.

Link permanente Deixe um comentário

Novas tecnologias em cinema

agosto 22, 2008 at 7:46 pm (Uncategorized)

O surgimento de tecnologías no mundo tem mudado completamente o pensamento e agir das pessoas. Ela já forma parte da vida de muitos habitantes, alguns se poderia dizer não vivem sem ela. O aparelho industrial e massificado significou uma mudança de vida, a adaptação foi em algum momento difícil, mas agora ela é impresindivel nas nossas vidas, não somente para “estar atualizados”, mas também porque facilita muitos dos processos que antes eram manuales.

O cinema incorporou tecnologias que ajudavam no processo de direção de arte e efeitos especiais. Assim o espectador tem uma visão mais detalhada sobre o que o diretor quer passar na tela. Atualmente a competência pelo melhor filme “hollywodiano” aumenta cada dia. Desde a maquiagem até as cenas de guerra são melhoradas com as novas tecnologias, o entretenimento para crianças está cada vez mais sofisticado e já passou de ser exclusivamente para criancas pequenas , porque até os grandes se divertem con elas.

Neste Blog discutirei as novas tendências da tecnologia em cinema e seu uso na publicidade, assim como também as novidades de cartelera com estas novas tecnologias.

Link permanente Deixe um comentário

comentario sobre texto: a urgência de uma filosofia da fotografia. Vilém Flusser

agosto 14, 2008 at 8:54 pm (Uncategorized)

O autor Vilém Flusser nos faz lembrar neste texto como atualmente o homem não tem mais uma participação ativa no mundo industrial, ele não passa de ser um inútil funcionário que amplia cada vez mais este mundo. É assim como o homem tem se tornado um ser sem liberdade no campo da tecnologia. A fotografia foi quem deu a primeira instancia desta quebra de liberdade entre o homem e sua praxis, enquanto ela acrescentava uma novidade ao mundo, tirava dos homens seu desejo de conhecer a fundo qualquer tema relacionado com o avanzo da tecnologia, pois facilitava o uso dos aparelhos sem fazer nenhum esfroço. Mas já que o homem tem a necessidade de sentir-se inserido num grupo, ele não podia ficar marginalizado desta novidade, pois as exigências sociais são muito fortes ate hoje, para tentar escapar do novo.
É assim que entra a vista a urgência de uma filosofia da fotografia, dar uma chance para o homem de se revelar contra a imposição da fotografia e os aparelhos e maquinas que vieram depois dela. O conformismo atual da sociedade em geral tem ajudado a expandir esta nova modalidade de sedentarismo intelectual, temos que tentar sair desta automatização do pensamento para poder entender com maior clareza o funcionamento da tecnologia que nos rodeia e assim verificar por nos mesmos se em realidade precisamos dela.
Isto é seguir uma filosofia da fotografia e da tecnologia em geral, escapar da massificação industrial e viver uma liberdade que foi perdida quando começou a programação das idéias e do pensamento. Flusser tem razão em apoiar esta filosofia, pois ele nos faz dar conta do tempo que perdemos tentando adquirir os novos aparelhos ao contrario de tentar entender eles.

Link permanente Deixe um comentário